Entrevista de Lady Gaga para o “The New Yorker”

admin em 29.3.2014 ás 10:46     1 Comentário

Lady Gaga, com sete apresentações marcadas e esgotadas na casa noturna de Nova York, o “Roseland Ballroom“, encerra as atividades do local com chave de ouro. Durante sua primeira apresentação ontem (28) Gaga concedeu uma entrevista ao “The New Yorker” onde fala sobre seu passado e como se sente tocando em tradicionais casas de shows após alcançar a fama mundial. Confira:

O Roseland Ballroom é o mais recente (mas certamente não o último) local de música célebres de Nova York a fechar suas portas. Porém 7 shows de Lady Gaga, que começaram sexta-feira passada, no dia de seu vigésimo oitavo aniversário, e terá o último no Fifty – second Street teatro, que tem abrigado sua atual localização desde 1958, quando assumiu o edifício que uma vez abrigou o Gay Blades Ice Rink. A estrutura de três andares, com o seu bar Art Deco, em breve será demolida e substituída por uma torre residencial de cinquenta e nove andares. O lugar onde Kurt Cobain milagrosamente recuperado fez um show do Nirvana, em 1993, e onde em meados de 2000, Fiona Apple teve um espetacular colapso por conta de um grande nervosismo e fugiu do palco, nada desse tipo ocorrerá mais.

Para Gaga, a despedida marca sua primeira vez no palco do Roseland Ballroom. “É basicamente a única sala na cidade eu tinha que cantar lá”, disse ela no outro dia, durante uma pausa nos ensaios para performar doze canções.

Cantando em clubes de Nova York foi “onde aprendi a ser ousada”, disse Gaga, como os dançarinos fizeram uma pausa na parte de trás do palco. Ela também fez uma pausa, sacudindo a peruca branca. “Você tem que aprender a não ter medo quando você é um ninguém, porque você vai ter realmente muito medo quando você é um alguém e todas as luzes estão em você.” Embora ela raramente performe em clubes ou teatros, “quando estou em uma arena ou um estádio, eu sempre preciso ter essa conexão com o bar, é onde mentalizo a energia.”

Ela continuou: “Você começa a cantar para si mesmo. E você diz, eu som bom. E então você pensa, mas eu realmente sou bom cantando? E para descobrir, você tem que colocá-lo em um quarto.” (fazendo referência a pockets shows em bares e casas noturnas).

Ela se colocou no quarto no Bitter End, o local está localizado no Village, onde ela se apresentou em público pela primeira vez, com quinze anos de idade, como Stefani, seu nome de batismo. “Você canta uma música e as pessoas começam a cantá-la de volta para você”, disse Gaga. “Mas como é que eles sabem que é a música? Por que eles estão se vestindo como eu? Então, você começa a entender o potencial que a música pode ter.”

A partir daí, ela colocou-se no quarto à “venda” da Arlene e no Rockwood Music Hall, no Lower East Side, onde o desempenho de arte e a personalidade de Lady Gaga apareceram pela primeira vez . Ela iria ensaiar em seu pequeno apartamento em Stanton Street, com plataformas giratórias sobre os queimadores do fogão. Uma noite, realizando um show para trinta pessoas no espaço apertado de Rockwood, sua mentora e colaboradora Lady Starlight disse: “Gaga, olhe para fora da janela.” E havia uma centena de pessoas na rua com câmeras tirando fotos!

Ela também aprendeu estratégia de vendas nos quartos. ” Você tem que ter a ambição de impressionar o cara que vai ter café com Puffy nos Hamptons no fim de semana”, disse Gaga. “Por que ele deveria dar-lhe o cheque de um milhão de dólares? Então você abre a boca e bate aquela nota que envia vibrações ao seu núcleo de uma forma que sopra sua mente e faz com que ele queira ser o único a dizer: ” Eu a encontrei. ”

Os bailarinos flutuaram de volta para o chão do Roseland Ballroom, e Gaga ensaiou “Bad Romance “, bufando como um Miler quando o número terminou, ela estava um pouco atrasada com o ensaio. (“Eu tinha meus seios aspirado esta manhã.”) O quarto parecia gostar do que ouviu.

Se apresentando em Roseland, Gaga disse, sempre foi um sonho. Como um jovem fã, ela não podia pagar bilhetes. Ela fez conseguir ganhar brindes para um show de Franz Ferdinand durante seu último ano do ensino médio no “Sagrado Coração”, e ela que teve o nariz quebrado no mosh pit . Ela tentou reduzir o inchaço com cerveja gelada comprada com identidade falsa, mas a Cynthia (sua mãe) tem sua própria versão da história. Depois disso, “minha mãe e meu pai não queriam que fosse mais ao Roseland – o que é um choque, né?” Uma vez que sua carreira decolou, com o lançamento de “The Fame”, em 2008, ela passou de lugares pequenos para grandes e ignorou Roseland completamente.

Seus pais, Cynthia e Joe Germanotta, estavam na frente assistindo ao ensaio. Embora eles já não se preocupem tanto com a sua filha e o acontecido de seu nariz quebrado, lembrar do show de Kurt Cobain e sua morte prematura, por meio do suicídio, e o preço da fama, deixam sua mãe claramente aflita.

“Ele só não queria ser famoso”, disse Gaga, abaixando os ombros. Aparentemente, isso não é problema?

NOTA: Usamos a palavra “quarto” para deixar clara a definição de “pequenas casas noturnas de Nova York”. Mas pode ser traduzido como: espaço, sala, lugar ou apartamento.

FONTE: Gaga Media

Comentários

  • Adriano souza

    amei <3