Lady Gaga é citada em texto sobre a Exposição: “A Collective Invention: Photographs at Play”

admin em 27.2.2014 ás 11:01     4Comentários

Lady Gaga foi citada hoje no texto do jornalista Ken Johnson para o New York Times. O texto que fala sobre a exposição “A Collective Invention: Photographs at Play” (A Invenção Coletiva: Fotografias em Jogo), que está em exposição no Museu Morgan Library. Ken conta aos leitores detalhes sobre as obras da exposição que tem como base uma única animação em forma de slide show com mais de 80 fotografias e objetos relacionados a fotos emprestadas por colecionadores particulares, o que torna-se uma experiência muito divertida e esclarecedora acerca dos objetos e das fotografias em si.

A ideia principal da exposição é: Olhe para uma foto, e se concentre em um elemento. Pode ser óbvio ou incidental, formal ou conceitual. Em seguida, encontre uma outra fotografia que contém algo semelhante ao que você viu na primeira imagem. Agora identifique algo na segunda fotografia – de novo, importante ou trivial – e descobrirá algo assim em uma terceira imagem. Repita “ad infinitum”. (“até o infinito”).

 

Famille d'Arlequin

Lady Gaga inspirada em Famille d’Arlequin”, de Pablo Picasso no Museu do Louvré em Paris.

A forma como vemos a arte hoje em dia nos faz crer que não precisamos nos prender a conceitos antigos de arte, como visitar museus. A arte está em todo o lugar, e Lady Gaga é a prova da reinvenção artística, como disse Yoko Ono, “Se não fosse por Lady Gaga, a arte estaria morta”. O que o Ken quis nos dizer, é que a arte pode saltar de um milênio para outro sem sofrer mudanças ou perder características pessoais, a arte pode estar presa num quadro de museu ou na roupa de Lady Gaga. O trecho traduzido diz isso na íntegra:

“Fora do museu, as mentes tendem a andar perdidas. Se eu pensar sobre a arte por alguns minutos, as imagens no meu slideshow podem saltar de esculturas egípcias antigas e ir para 1960 no Minimalismo, ir de Leonardo da Vinci para Alice Neel, ou partir de Louis XIV da França para a diva da música Lady Gaga. Os saltos de uma imagem para a próxima pode parecer arbitrário, ou mais ou menos inconscientemente, cada um está ligado de alguma forma para a próxima imagem. Surrealistas e psicanalistas acreditam que a coerência significativa geralmente subjugam esses fluxos aparentemente caóticos no pensamento.” diz Ken.

Comentários

  • jota L

    Acredito que a ‘arte’ que Lady Gaga faz hoje, só será apreciada e depurada ao longo dos anos, possivelmente daqui há 10 ou 15 anos iremos falar que o trabalho e o conceito que LG passava era a reconstrução da arte, aquela velha máxima do Neoconcretismo. A vanguarda está sendo remodelada por Gaga e isto é incrível.

    • O abstracionismo está morto! O que vemos hoje é a movimentação da arte através dos artistas incomodados com o modo artístico internacional. O século XXI pede muito mais do paredes de museus ou longas exposições. Artistas como a Lady Gaga entendem que a arte e livre e usufruem de todas as maneiras possíveis dessa arte.

      Honor alit artes.

      • quando eu disse internacional, eu queria dizer tradicional. Corretor do celular hehehe

  • gatobelo16

    lady amo

    Beyoncé dança “Partition” Ao Vivo!
    http://goo.gl/alcmwv