Semana ARTPOP: Dope

admin em 15.11.2015 ás 12:00    

Brown Eyes deu um gostinho do que Gaga pode fazer com uma balada. Speechless foi um tiro no coração dos Little Monsters (e é a música favorita de Gaga). Em Born This Way, não tivemos nenhuma faixa que fosse originalmente uma balada, mas tivemos grandes performances acústicas ao piano, digníssimas. Dope surge em ARTPOP como uma composição de abalar as emoções. E em dose dupla.

0111LGaga1

Uma das faixas de ARTPOP que ficamos conhecendo no iTunes Festival foi I Wanna be With You. Justamente quando a Mother Monster estava de volta aos palcos, ela nos presenteia com uma linda música sobre amor aos fãs, e todos nos sentimos contagiados por aquele momento. Quem não sentiu os olhos marejarem provavelmente está mentindo. Foi uma grande homenagem e uma grande ideia da parte de Gaga.

Mas aí veio a tracklist do álbum… E onde estava a faixa? No lugar, tinhamos algo chamado Dope que ninguém sabia muito bem do que se tratava. Muitos fãs, depois de assistir a performance de Jewels N’ Drugs, pensaram que teríamos mais uma faixa de rap. A verdade, por fim, é que Gaga já tinha nos apresentado Dope, porém fantasiada de I Wanna be With You. Como sabemos, as músicas do iTunes Festival tiveram pedaços da letra e da melodia alterados para não entregar o material todo de uma vez. Com a faixa em questão, Gaga mudou toda a letra, criando duas baladas maravilhosas em uma só. Alguns preferiam que a versão do iTunes tivesse ido para o álbum sem nenhuma alteração; mas a maioriaMuitos Little Monsters não sabem dizer qual das duas é sua favorita.

possibilidades
Dope continua a narrativa desenvolvida em ARTPOP e sucede Mary Jane Holland; saímos da celebração da diversão inconsequente para o “fundo do poço”. Depois de se deixar consumir por seu vício, Gaga percebe que vários amigos, e a própria família, acabaram se afastando, por conta de suas atitudes impensadas. Ela observa a própria carreira sofrer com suas decisões. É então que ela decide dar a volta por cima e se retratar com todos aqueles que sofreram por vê-la sofrer. Dope está intimamente ligada com o período da vida de Gaga durante o fim da era Born This Way. Assim como na versão I Wanna be With You, vemos uma balada bastante pessoal, forte, e confessional. Basicamente, as duas versões poderiam ser uma música só de 8 minutos, pois ambas falam de arrependimentos e redenção. A faixa também a única a quebrar o ritmo dançante e vivo do álbum, levando ao que seria o clímax da história que Gaga está nos contando através de 15 faixas sensacionais. O desfecho da história, veremos nos próximos posts, não poderia ser mais glamouroso.

lady-gaga

Comentários