Washington Post: artRave – Um espetáculo de bem-estar, bom para os ouvidos e olhos

admin em 13.5.2014 ás 12:30     2Comentários

Hoje (13), saiu uma pequena resenha no Washington Post, jornal local de Washington, DC. O jornal falou sobre o show no Verizon Center e destacou as multiformas de Lady Gaga no palco.

“Mas você está se sentindo bem por dentro?” Gaga falou com fãs fantasiados. “Isso é o que é mais importa… A verdadeira moda está no interior.”

Então, na segunda-feira (12) à noite, os fãs leais de Lady Gaga lotaram o Verizon Center para mostrar a pouco de todo amor que possuem. Eles usavam sungas listradas e tinham pinturas por todo o corpo, máscaras de carnaval, paetês e perucas caseiras, hot pants metálicos e clam-shell biquíni equipado com várias luzes piscando. (Havia muita gente de blusas polo e vestidos também – depois de tudo, isso ainda é Washington.)

Lady Gaga foi andando em “Fashion” – uma canção que incorpora todas as citações de “ARTPOP”, o álbum que prometeu invadir os castelos de alta arte e da moda de luxo, passar por aqueles corredores culturais exclusivos. “Minha arte – pop poderia significar qualquer coisa”, ela cantou enquanto terminava a faixa – título do álbum. O show te transporta para três dimensões, mesmo as mais frágeis músicas de Lady Gaga são beneficiadas exponencialmente a partir do fato de que a mulher está suando em uma série de fantasias de Halloween do futuro.

Ela embelezo os mais doces ouvidos, cantando os seus grandes sucesso, como, “Just Dance” em uma keytar em forma de um cavalo-marinho. Ela abanou a cauda caricatural de tentáculos de látex durante o refrão de “Paparazzi” e rugiu em “Bad Romance”, enquanto se vestia como um anime delirante dos Muppets. E ela conseguiu mudar roupas – e amontoar falatórios de louvor em sua audiência – sem perder o movimento musical.

Gaga não falou sobre a mudança de data do show, que foi originalmente agendado para quinta-feira (15), mas já tinha um jogo do Washington Wizards marcado para a data.

” Você tem que acreditar em si mesmo a partir de dentro”, disse ela durante “Born This Way”, transformando sua assinatura de igualdade em um hino cantado uma balada carinhosa no piano. “Todos os dias eu os recebo neste palco, você faria isso por mim.”

“Para um concerto pop em uma arena, me senti bem. Como um exercício público em recíproco, o amor incondicional, me senti único.” disse Chris Richards que assinou a resenha.

Comentários